GDT é um espaço dedicado especialmente aos fãs da série Game of Thrones. Aqui você poderá criar seu próprio personagem, escolher sua lealdade e participar do famoso Jogo dos Tronos.
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Alvorada de Sangue

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Erik Uller
Lorde Vassalo
Lorde Vassalo
avatar

Casa : Uller
Local de Nascimento : Dorne
Masculino Mensagens : 38
Data de inscrição : 28/06/2016

MensagemAssunto: Alvorada de Sangue   29.06.16 11:30

O dia clareou. Erik esteve deitado a noite toda, mas não cerrou os olhos uma única vez. No escuro de seu quarto, a imagem de seu pai morto dominava sua imaginação. O enterro havia sido no dia anterior, com a família toda em prantos,mesmo sabendo que muitas dessas lágrimas eram falsas. Ele não chorou na frente de ninguém, mas ao se deitar, chorou até seus olhos secarem. E sonhou de olhos abertos. Sonhou com seu pai botando a mão com força no lado esquerdo de seu peito e agonizar perante a morte em pleno festim. Seu pai era tremendamente temperamental e se irritava muito fácil. Mas ainda o considerava uma boa pessoa. Depois da morte da sua mãe, passou seis anos fora. E ainda suspeita de como sua amada mãe havia falecido. Ele sempre fica na dúvida se ela realmente escorregou sozinha da escada e quebrou o pescoço ou se foi derrubada. Se foi derrubada, não poderia ser outra pessoa a não ser seu irmão mais novo. Extremamente irritadiço, havia brigado com a mãe por alguma besteira antes dela "acidentalmente" cair. Essa paranoia em cima de seu irmão lhe faz criar um teoria de que seu irmão teria orquestrado a cena de horror. Talvez ele tenha posto veneno na bebida. Ou contratou um homem sem rosto para faze-lo. Ou simplesmente seu pai não possuía boa saúde e seu velho coração não aguentou. Torcia para não ser a última opção, pois assim teria mais um motivo para odiar seu irmão, pois ele queria odiá-lo. Esse turbilhão de pensamentos lhe deixou nervoso em plena manhã, mas se recompôs ao lembrar de seu dever como novo Senhor de Toca do Inferno.

No salão principal, toda a corte do castelo se reuniu na mesa do banquete, para o festim inicial do novo Lorde Uller. Então eis que aparece aquele rapaz com aquela pele cor de oliva,com roupas extravagantes, de ombros largos, com um cabelo encaracolado sedoso, com os seus lábios carnudos com um batom transparente brilhante. Usava brincos nas duas orelhas, e a orelha esquerda estava enfeitada com um brinco de ouro cobrindo todo a borda da orelha. Usava vários anéis coloridos em seus dedos. Seu olho esquerdo estava maquiado com uma base vermelha,que chegava até a orelha. Seu cabelo era mais baixo nos lados. Seu olhar era serene. Seu queixo fino fazia com que parecesse mais com uma mulher do que um homem. De fato, ele estava mais belo do que todas as mulheres ali presentes. Sem delongas, se senta na cadeira principal e ordena que se comece o banquete. Ao passar a mão no braço da cadeira, ele pensa "era para o meu pai estar sentado aqui". Seus olhos começam a brilhar e ameaçam chorar, mas ele segura para não mostrar fraqueza em um momento tão crucial. A comida não possuía gosto de nada, não cheirava a nada, e nem conseguia ouvir o falatório dos súditos ao comerem na mesa principal. Só conseguia prestar atenção no seu irmão. Apenas nele e em suas mãos cortando a carne. "Essas mãos...será que também são assassinas?" pensou consigo mesmo. "Essa mão que desfia a carne, também pararia um coração? Foi com essas mãos que pôs o veneno na bebida de meu pai?" e então recobra os sentidos. Ele se acalma. "Meu estabelecido ódio por ele está me fazendo imaginar coisas....deduções sem provas", então respira fundo e recoloca a cabeça no lugar. Ele estava preocupado com a responsabilidade de ser o mais novo Lorde de Westeros, mas ai pensou consigo mesmo... "Me preocupar por quê? O que tenho que fazer? Coletar tributos? Ainda mais nesse deserto... só tenho que ficar aproveitando a boa comida, as belas roupas e o bom vinho do melhor lugar em que se pode estar no meio desse deserto. Mas isso não é para mim. Não é um tipo de vida que me agrada. Não estou preparado para ser Lorde". Mal se tornou o Senhor de Toca do Inferno e já planejava abandonar o posto em favor de seu irmão. Mas então, decide não se precipitar. "Preciso apenas colocar as coisas na minha mente no lugar. Uma pequena viagem não fará mal". Respira fundo, e volta a comer.

STAMINA:0


Última edição por Erik Uller em 29.06.16 13:33, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Erik Uller
Lorde Vassalo
Lorde Vassalo
avatar

Casa : Uller
Local de Nascimento : Dorne
Masculino Mensagens : 38
Data de inscrição : 28/06/2016

MensagemAssunto: Re: Alvorada de Sangue   29.06.16 13:03

O banquete voou tão rápido quanto o vento. Sem delongas, subiu para os seus aposentos, tentando analisar o que planejaria dali em diante. No caminho, foi interceptado pelo Meistre Ian. Um homem escuro como a noite, e tão sábio quanto a lua que a banha. Sua barba no queixo chegava na altura do peitoral. Estava com uma carta em sua mão.

-Meu senhor! Acabou de chegar um corvo.

-Meu senhor? Erik começa a rir alto.O que foi, Ian, tá me conhecendo hoje?

O meistre ficou um pouco sem jeito. -Ah, Lorde Erik, agora esse é o seu título.

-Eu sei, Ian, eu sei. -Falava tudo isso ainda rindo. -Recebeu uma carta, foi isso?

-Sim, de King's Landing.

-King's Landing? -O seu olhar já mudou um pouco de postura. Ele não imaginava um motivo pelo qual o rei mandaria uma carta para uma casa no meio de Dorne caso não fosse algo avassalador. Ele deslacra o símbolo do dragão e começa a ler na frente do meistre. Enquanto lia na mente, mexia os lábios. O conteúdo da carta, ele já suspeitava. Ele olha para Ian com cara de desgosto.

-Eu sabia. Outra desgraça.

-O que houve, meu Lorde?

-O rei Jaaehaerys foi assassinado. -O meistre ficou horrorizado.

-Como assim, assassinado?

-Simples: alguém chegou lá e o matou. -Erik falou em um tom de piada. Os dois ficaram trocando olhares por uns segundos. -Sinto muito. Quis dizer.... aaahrg. Erik tenta se recompor. Pelo o que foi dito na carta, o rei foi encontrado morto na Torre da Mão, com a cabeça decapitada, junto com o Mão do Rei. -Essas palavras chocaram o meistre.

-Eu não acredito.... quem? Por quê?

-Ora porquê. Ele é o rei de um continente inteiro. Isso é motivo o suficiente para meio mundo querer sua morte. -Com o movimento rápido e leve de suas mãos, embola novamente a carta, e fica gesticulando ela com as mãos. -Muito provavelmente foi alguém de dentro de seu convívio. Agora quem, não faço ideia. -Ao falar isso, se lembra de sua estadia em King's Landing, em sua viagem pelos Sete Reinos. Lembra-se de ter ficado decepcionado quando não pôde se encontrar com a família real, mas também quem dera, era "apenas" um nobre qualquer do Dorne. Mas se lembra também da bela vista do mar. E também do forte cheiro de mijo da periferia da cidade. -Eles devem ter mandado corvos para todas as casas dos Sete Reinos, até mesmo as pequenas. Se bem que, na verdade, essa carta deve ter sido escrita em Lançassolar. Não consigo entender então o porquê do símbolo Targaryen na carta, sendo que devia ser o escudo dos Martell.

-Talvez para passar a ideia de que é uma notícia real e de primária importância. Mas sinceramente, também não vejo lógica nisso -O nervosismo momentâneo do meistre passou, e voltou a usar a lógica.

-Pois bem, para mostrar que recebi a notícia, quero que envie um corvo com as sinceras condolências dos Uller. -Falou isso num tom bem sarcástico. -Aliás, por falar nisso, nós temos corvos?

-Bom, temos o que veio com a carta. -Olha para o corvo estacionado na mesa.

Erik solta um sorriso. -Então vai ser esse. Escreva o que lhe pedi.

-Sim, meu lorde, agora mesmo. -Ian pega o corvo e, depressa, sai.

-Meu Lorde -Erik volta a rir. Se bem que os Targaryen tão pouco se fudendo para o que a casa Uller acha, mas tudo bem pensa Erik consigo mesmo. Refletindo nisso, sobre as escadas para o seus novos aposentos. A partir daquele dia, dormiria na cama de seu pai. Ele olha triste para cama, e então lembra da tragédia do rei. Os filhos de Jaehaerys também estão sentindo essa dor? e fica lá, parado, olhando para a cama, imóvel.

HP:0
ST:0
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Alvorada de Sangue
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» O Meio-Sangue Filho de dois deuses
» A vida de um meio sangue.
» Culto de Sangue - Entre a Serpente e a Estrela (Crônica Oficial)
» Festa: Dia do Meio-Sangue
» Nine - Lua de Sangue

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Guerra dos Tronos :: Westeros :: Dorne :: Toca do Inferno-
Ir para: